segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Quem viaja quer casa

Depois de um voo de nove, dez horas, nada melhor do que chegar acasa. Ainda mais se a viagem estiver a começar. Há cada vez mais imóveis para alugar sendo aos milhares pela internet. São uma boa opção para fugir de quartos sem personalidade em corredores infinitos ou dos preços estratosféricos das acomodações mais intimistas.

Os mercados mais importantes continuam sendo o europeu, o canadense, o americano e o australiano.


Todo o cuidado é pouco antes de clicar o botão "reservar", mas uma pesquisa da consultoria americana PhocusWright, especializada em destrinchar e quantificar os movimentos do turismo on-line, mostra que, apesar do receio do Snad (ou "significativamente não como descrito", na abreviatura em inglês), menos de 1% dos inquilinos voltam aos seus endereços permanentes insatisfeitos com os temporários.


O primeiro passo para encontrar seu lar de férias é estar com o inglês em dia - há sites com serviço em português, mas são poucos, e o inglês aumenta, e muito, a amplitude da busca - entrar no Google e digitar "vacation rentals" (ou aluguer férias). O segundo passo é ter paciência para encontrar o seu cantinho na avalanche de sites listados.

Perfectplaces.com, nyhabitat.com e vrbo.com são endereços que oferecem apartamentos em tudo quanto é canto. A proveniência dos imóveis é variada: alguns são ofertados pelo proprietário; outros por empresas do ramo que, além de terem seus próprios endereços na web, usam portais maiores para veicular seus anúncios. Neste caso, o apartamento tanto pode ser de um proprietário individual quanto de companhias que compram imóveis somente para este fim (o que se percebe claramente pela carinha de hotel dada à decoração).

Já dá para notar que este mercado é um tanto fragmentado, o que faz com que seja bastante difícil quantificá-lo. Mas os americanos (e quem mais?) já o fizeram: de acordo com a pesquisa "Vacation rentals get real (and really big)", da consultoria PhocusWright, os aluguers por temporada movimentaram US$ 24 bilhões no ano passado, só nos Estados Unidos, montante igual ao das companhias de cruzeiros. A pesquisa revela ainda que o preço médio da diária de uma casa está acima da de um hotel (US$ 215 contra US$ 100). Mas que a última acaba ficando bem mais barata quando se leva em conta que uma casa pode hospedar muito mais do que um casal.


Para se ter uma ideia, o aluguer de um apartamento para até três pessoas no 7éme arrondissement parisiense, com decoração suntuosa, cozinha totalmente equipada, lençóis, toalhas e, acima de tudo, vista para a Torre Eiffel, custa 2.065 euros por semana. Um hotel de padrão mediano na mesma região, o Hilton Arc de Triomphe, cobraria 2.345 euros do trio, e nem oferece vista para o monumento. No luxuoso Plaza Athenée, da Dorchester Collection, a conta pela mesma semaninha subiria para 5.320 euros.

Ao contrário do que a ideia de tio, primo, papagaio e periquito "farranchados" na casinha de praia pode sugerir, as casas por temporada são procuradas sobretudo por viajantes com alto poder aquisitivo. É o que mostra a PhocusWright, segundo a qual um terço dos inquilinos tem renda acima de US$ 100 mil por ano, o que confirma o perfil dos clientes do site travelingtolisbon.com, especializado em imóveis em Portugal:

- Os que nos elegem são geralmente viajantes muito bem informados, entre os 30 e os 50 anos - conta a diretora, Helena Felgueira.

É claro que, alugando um apartamento, não terá ninguém para carregar as suas malas escadas acima e nem encontrará a cama feita quando voltar a cada noite. Mas também não terá de pendurar a placa de "Não perturbe" na porta ou pagar taxas extorsivas para fazer uma refeição no quarto.

Nas descrições dos apartamentos, já vêm listadas todas as comodidades oferecidas no imóvel, como máquina de lavar, secadora, lava-louça, utensílios de cozinha, internet, telefone e limpeza(os dois últimos, na maior parte das vezes, pagos à parte). É bom verificar tudo na chegada, para não ter aborrecimento com a falta de uma colher ou garfo na hora da saída. Horários de saída e entrada, aliás, são combinados com o dono ou seu representante, já que alguém deve ir até o local deixar e buscar as chaves.

É quase impossível pôr a mão no fogo por qualquer site, justamente pela variedade de proprietários presente em cada um, mas existem maneiras de minimizar os riscos de ter problemas.

- O potencial cliente deve ver fotos e fazer perguntas pormenorizadas sobre o imóvel, a morada, os acessos e se possível confirmar tudo isto através de outras ferramentas, como o Google Maps, por exemplo - recomenda Helena Felgueira.

Quatro passos até a casa das férias

Onde: Em sites como perfectplaces.com; vrbo.com e nyhabitat.com (mundo); apartmentparis.fr e parisperfect.com (Paris); londonperfect.com e london-house.com (Londres); pureitaly.com e thatsitaly.co.uk (Itália); friendlyrentals.com e rent4days.com (Espanha); travelingtolisbon.com (Portugal); bytargentina.com, apartmentsba.com e buenosairestravelrent.com (Buenos Aires).

Como: A escolha do endereço é feita via internet, e a negociação, por email e por telefone. A maioria dos proprietários exige depósito, e o pagamento pode ser feito via PayPal ou depósito internacional (consulte o seu banco, ele provavelmente oferece esse serviço em algumas agências).

Porque sim: A principal vantagem de alugar um apartamento para as férias é a economia, claro, especialmente para quem viaja em grupo. Mas também se pode encher o frigorifico com itens a preço de supermercado, e aproveitar o quotidiano de um bairro, em vez de circular apenas entre turistas.

Porque não: As malas terão de ser carregadas pelos seus braços; a cama não estará feita quando voltar da rua; a louça não estará limpa num passe de mágica; a toalha poderá não secar... Afinal, você estará em casa.

2 comentários:

Kandis Design disse...

Olá! Visite meu blog, lá você encontra um pouco de tudo: Design, fotografia, interiores, links interessantes e mais um monte de coisas!
Ficarei muito contente com sua visita.

Beijos,

Samandra
Kandis Design
http://kandisdesign.blogspot.com/

Sarah disse...

I don't know what it says...but beautiful pictures!